Muitas mulheres relatam uma certa perda de ar pela vagina durante o sexo. Ao sair este ar costuma emitir sons, semelhantes a um “pum” que pode ser constrangedor para ela e/ou seu parceiro.

Afinal, o que é isso?

Trata-se dos Flatos vaginais, também conhecidos como gases vaginais que são os gases expulsos da vagina, de forma barulhenta durante algum movimento da mulher, como por exemplo uma troca de posição.

Geralmente não possui odor, exceto se a mulher apresentar corrimento patológico. O barulho produzido é muito semelhante a uma flatulência comum. Como a vagina não possui esfíncter como o ânus, a mulher não consegue controlar a saída do ar.
Essa saída de ar também pode acontecer quando se efetua um esforço físico grande, como na ginástica ou sexo, por exemplo.

É normal que escape ar pela vagina?

Por que acontece pum vaginal

Ao contrário do que se pensa, flatos vaginais são comuns e podem acontecer com qualquer mulher durante a relação sexual.
Os flatos vaginais acontecem por dois motivos principais:

Posicionamento

Posições que necessitam de uma maior elevação do quadril, ou quadril muito flexionado (com joelhos próximos ao abdome) ou de quatro facilitam a entrada do ar na vagina durante o intercurso de entre e sai do pênis. Nessas posições a mulher tende a involuntariamente relaxar a musculatura do assoalho pélvico, permitindo assim a entrada do ar.

Fraqueza muscular

Uma musculatura flácida ao redor da vagina colabora com a entrada do ar durante a relação sexual, independente da posição, pois essa tonificação diminuída não consegue "agarrar" o pênis de maneira adequada. Ao mudar de posicionamento, aquele ar armazenado sai da vagina e faz esse barulhinho constrangedor.

Quanto mais forte sua musculatura íntima estiver, menor o risco disso ocorrer, evitando a entrada do ar devido uma melhor tonificação. É uma condição que independe de idade, peso corporal ou histórico de gravidez, já que nós não temos a cultura de fortalecer essa musculatura durante a nossa vida.

E você pode melhorar essa condição a partir da prática do Pompoar.

Por que o ar escapa da vagina?

A entrada do canal vaginal é fechada por um poderoso grupamento muscular conhecido como musculatura do assoalho pélvico (MAP). Quando esta musculatura contrai ela "fecha" a entrada vaginal: é a sua contração a responsável pela pressão sentida durante a relação sexual.

Muito mais do que um simples "buraco", a vagina é órgão tubular, semelhante a uma panqueca macia e sem recheio. Quando o canal vaginal está relaxado, suas paredes encostam umas nas outras, deixando seu oco interno fechado - exatamente igual acontece com as paredes de uma panqueca macia e sem recheio, descansando sobre um prato: o "túnel" se fecha.

Este fechamento garante que, no dia-a-dia, nenhum ar entre ou saia do canal vaginal. Todavia, durante a relação sexual, a vagina precisa se abrir para acomodar o pênis.

Quando isto acontece, a MAP, localizada na entrada vagina, abraça o pênis, exatamente como faz uma mão agarrada no cabo de uma ferramenta. Este "agarramento" também impede que o ar entre ou saia da vagina, mesmo estando ela, agora, aberta durante a relação.

Mas pode acontecer de, em algum momento, as paredes vaginais desencostar do pênis, formando uma pequena abertura que permite a entrada de ar, mesmo que por um breve segundo.

Este ar vai ficar armazenado, preso dentro da vagina durante a relação. Se, durante o desenrolar da relação sexual, por várias vezes o contato entre o pênis e as paredes vaginais for desfeito, então mais e mais ar vai se acumulando no fundo vaginal.

Até que, da próxima vez que o contato entre pênis e vagina for desfeito, ao invés de mais ar entrar, o que acontece é justamente o contrário: todo o ar armazenado acaba saindo, de uma só vez e de maneira barulhenta, exatamente como acontece com um gás anal.

O que fazer para evitar os flatos vaginais?

Como evitar pum vaginal

Os exercícios da ginástica íntima fortalece a musculatura do assoalho pélvico e proporcionam uma maior consciência da musculatura vaginal, dessa forma a mulher pode contrair a musculatura durante o ato sexual, evitando a entrada do ar e o constrangimento dos flatos vaginais.

Quem garante o perfeito fechamento da vagina ao redor do pênis é a musculatura vaginal. Portanto, quanto mais fortes os músculos se tornam, menor risco de flatos vaginais.

Certas posições sexuais favorecem a entrada de ar na vagina, como por exemplo quando a mulher está em quatro apoios, ou então quando há uma flexão exagerada dos quadris (joelhos dobrados sobre o abdômen, até quase a altura do peito). Nestas situações a vagina acaba relaxando um pouco, desfazendo o contato com o pênis e permitindo assim a entrada/saída de ar.

No entanto isto não significa que se deva evitar totalmente estas posições, nas quais o ar costuma entrar/sair da vagina. Se a posição agrada a mulher e o parceiro, não há motivos para evitá-la.

Para evitar o constrangimento dos flatos vaginais, basta a mulher contrair esta musculatura nos momentos mais críticos, como por exemplo no momento de uma troca de posição. Mas não basta saber contrair: é preciso que sua região íntima esteja suficientemente forte e resistente.

Força e resistência da musculatura vaginal pode ser aumentada por meio de fisioterapia manual, exercícios de Kegel ou com cones vaginais. A coordenação motora pode ser melhorada a partir da prática do Pompoarismo.

Como Usar as Bolinhas de Pompoarismol

Mas você não precisa ficar cheia de neuras por conta do eventual barulho se o momento está maravilhoso para você e para o seu parceiro. Quando acontecer, leve no bom humor e não deixe que isso estrague o clima, afinal de contas, isso é uma coisa natural e já aconteceu com toda mulher.

Curtiu essa matéria? Então deixe aqui seu comentário!

E não esqueça de compartilhar essa informação com quem precisa!

Até a próxima!